domingo, 1 de julho de 2018

Viena Show - Fermentando com a técnica Speice

Evitando inserir Açúcar no priming

Na minha última Brassagem, havia feito uma parte da leva com a técnica de fermentação Speice, onde havia guardado um pouco do mosto, antes da fervura, em uma garrafa bem higienizada e armazenada na geladeira. No dia do envase, algumas horas antes, eu havia colocado aquele mosto em uma panela, também devidamente higienizada, e fervi o líquido até borbulhar e deixei 15 minutos o mosto fervendo. Após deixei o mesmo resfriar naturalmente, onde aproveitei esse tempo e higienizei as garrafas com álcool 70. Fiz o seguinte procedimento:

Para cada l00ml de cerveja, utilizei 1ml de mosto.

O resultado foi surpreendente: a cerveja que havia feito a fermentação com o mosto ficou com a espuma mais cremosa e com mais tempo no copo, demorando a se dissipar.

A palavra speise em alemão, parece ser alimento . Com o próprio açúcar do malte, a levedura possui mais nutrientes do que o açúcar que usamos normalmente. 

A partir desse experimento, nessa leva da Viena Show, utilizei a técnica do Speise para fazer o priming. Hoje, foram engarrafadas as cevas que nesse momento já estão em fase de refermentação e maturação. Vamos aguradar mais 15 dias para abrir a primeira garrafa.

A densidade final deu em torno de 1015.
As novas cevas com a nova técnica de priming. Utilizada Speise para realmente torná-la 100% puro malte.


domingo, 24 de junho de 2018

Brassagem da Viena Show

Acordar cedo no Domingo, para começar a fazer mais uma brassagem. Dessa vez, decidi fazer uma Viena e acrescentar mais um malte, RED.
Como sempre digo, a cada brassagem ganhamos mais experiências e vontade de fazer mais e mais cervejas!
Todo trabalho, desde a moagem até a fervura, tem detalhes preciosos para que não vacilemos com contaminação. Tudo deve ser bem lavado e higienizado.
Não devemos esquecer nenhum ponto, pois logo tem-se uma colônia de bactérias. Mais uma semana, e farei uma nova técnica de fermentação da garrafa. Enquanto isso, veja as fotos da brassagem de hoje:

Início da Brassagem, aos 20 minutos.




Fazendo a filtragem do bagaço, para termos o mosto

                        
                                    Após a fervura, a Viena já está no tanque de fermentação. Agora aguardar uns 7 dias







O air lock, começa a mostrar que o fermento está começando a trabalhar
Depois de todo o trabalho, vem a 2ª parte que é reorganizar cada equipamento. Salute!


domingo, 13 de maio de 2018

Degustando a Blond Ale Selvagem

Perfeita Combinação


Ainda não desenvolvi o rótulo como havia falado na edição anterior, porém essa cerveja me surpreendeu: a espuma ficou persistente, o aroma ficou frutado e a cerveja totalmente maltada, um pouco adocicada.

Dei algumas garrafas para amigos provarem e o resultado foi surpreendente: todos gostaram da cerveja, dizendo que tem uma espuma cremosa e persistente. Fiquei feliz, pois realmente a cerveja está muito gostosa!
Hoje, dia das mães degustei-a com um delicioso churrasco.

Ela ficou com um bom equilíbrio entre o malte e o lúpulo.

Harmonizou bem com a picanha e o salsichão apimentado



Resultado: uma perfeita combinação entre a cerveja e o churrasco! Feliz dia das mães para todas as mães! Salute! 


Encerrando o mês de Maio

A Blond Ale Selvagem foi bem aceita pelos amigos! Tirei um print de meu Whatsapp de uma conversa com um amigo, veja o comentário:


É a Birra Ballare conquistando cada vez mais os cervejeiros de bom gosto!

quarta-feira, 2 de maio de 2018

6 anos de Produção - 01 de Maio de 2012

Há 6 anos....


Eu produzia a primeira cerveja de minha vida! A partir de todo um estudo, que fazia desde os meus 7 anos de idade, consegui produzir uma APA - American Pale Ale, receita desenvolvida pelo Mestre Cervejeiro Rogério Sventkauskas.
Na época, a margem de erro da produção foi muito grande e com grandes desperdícios de matéria prima. Porém a primeira cerveja nós nunca esquecemos. Ela não ficou muito amarga, mas dava para beber! :-)

Uma mostra da 1ª Leva está guardada. Um esquilo Norte Americano era o rótulo da Garrafa

O nome Birra Ballare ainda não existia. 

Aqui iniciou a 1ª APA - na época muita ansiedade e medos de erros

Após a fermentação, ela ficou mais uma semana em maturação. O que era para ser 20 litros, tornou-se menos de 5 litros

Desde então, produzi Blond Ale, Pale Ale, Stout, Pilsen e Viena! São 6 anos que faço cervejas! Uma grande alegria em produzir cervejas! E principalmente, evoluir nos estudos e encantar aos que amam cervejas! E não vou parar aqui! Mais produções irei fazer! Salute!

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Envase da Blond Ale Selvagem

Priming com Mosto, a adição do Speise

Desta vez, eu não utilizei o tradicional açúcar para o priming nessa Blond Ale. Utilizei sim, o mosto da brassagem. Fiz a adição do Speise; uma técnica onde utilizamos uma cerveja "verde" - o mosto que guardei há uma semana atrás e a utilizaremos na cerveja fermentada. Meu controle com a carbonatação está mais rígido, onde percebi que o OF da ceva deu 1015 - e quando provei a cerveja, ela estava um pouco adocicada. Reduzi a quantidade do Priming, utilizando 2 ml para as garrafas de 300ml e 3 para as garrafas de 600ml, precaução para não não estoure literalmente a garrafa.
Agora é só aguardar a refermentação na garrafa e verificar o resultado.


Concluindo: uma cerveja puro malte deve ter teu priming com adição do Speise. Então, as minhas cevas não eram 100% puro malte, pois estava adicionando açúcar no priming e em, algumas Stouts que produzi há algum tempo, eu utilizava o açúcar na brassagem, a fim de que, pudesse aumentar o teor alcoólico.

Pelos cálculos da densidade dessa ceva, ela está com 7,2%. 

Novo rótulo para a Blond Ale Selvagem

Enquanto a nossa ceva está em fase de refermentação, eu estarei estudando um rótulo para a nova ceva.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Blond Ale Selvagem - aprimorando as técnicas


Aprimorando o Priming

Ontem, 15 de Abril, fazendo uma nova brassagem, estudei outra forma para fazer o priming no próximo envase. A partir do próprio mosto, após a recirculação, guardamos 1 litro e colocamos na geladeira. Pois quando for fazer a refermentação na garrafa, usaremos esse mosto para inserir na ceva. Uma forma da cerveja ser realmente puro malte, onde não haverá misturas de outros itens na cerveja, como por exemplo: o açúcar, mel entre outros.

O mosto está guardado em uma garrafa de 1 litro na geladeira e daqui há uma semana, farei o priming fervendo o mosto em alta temperatura e, após o resfriamento, adicionar uma quantidade de 5 ml para cada 600ml ( Farei uma experiência com 5 garrafas, verificar se a quantidade não é exagerada para fazer a refermentação, preocupação em não estourar as garrafas - pois nunca trabalhei com essa técnica).

Segundo pesquisa e curso que realizei, diz que melhora a qualidade da espuma e a levedura já estará "acostumada" com o mosto.

Refermentação na garrafa

É comum as pessoas encontrarem a tal "lama" no fundo da garrafa. Isso é comum quando a cerveja é refermentada na garrafa. Alguns acham ruim a tal "lama" no fundo da garrafa, achando que é sujeira. Mas não é. Pode-se oferecer a cerveja e quando chegar no fundo, joga-se fora.

Toda a cerveja caseira é uma verdadeira obra da arte! Estou estudando cada vez mais as técnica de fermentação e carbonatação para assim termos uma cerveja bem original.
 Abaixo algumas fotos da brassagem:

Após a recirculação do mosto, guardei 1 litro e conservei em geladeira.
Final da fervura: introduzindo a ceva no fermentador


A densidade original (OG) chegou a 1070
Trabalho em andamento: o airlock começa a borbulhar
Aguardando mais uma semana para ver essa nova cerveja nascer. Salute!



sábado, 27 de janeiro de 2018

Blond Ale Selvagem

Um novo recomeço....

Após muito tempo, decidi fazer uma Blond Ale, há mais de um ano não fiz Blond Ale! A receita mais simples que possuo. Conforme vamos tendo experiência em fazer cervejas, podemos observar detalhes de que no começo, pouco importava. Mas hoje faz grande diferença! A quantidade de água e a quantidade de malte.

Utilizei a cada quilo de malte, 3 litros da água. Desta vez, utilizei malte brasileiro da Agrária. O processo de fazer cervejas continuou com o mesmo, porém vou precisar substituir alguns equipamentos que já não estão dando bom rendimento.

A sanitização e higienização sempre prestando atenção em mínimos detalhes que são importantes: torneiras das panelas, torneira do fermentador entre outros!

Abaixo seguem algumas imagens do qual postei no Facebook e vou compartilhar aqui também:

Iniciando a brassagem: um show de malte!

Separando o mosto do bagaço

Após o resfriamento do mosto, está na hora de transformá-lo em cerveja

Nossa Blond, em breve, ganhará um rótulo majestoso

O densidade inicial foi de 1055





Novo Rótulo

Aproveitando que fiz essa nova leva, vou criar um rótulo mais profissional e a altura dessa ceva. A Blond Ale Selvagem será uma cerveja de personalidade e de grande inovação.
No momento, vamos esperar a fermentação e o envase. Obrigado a você que me acompanha em meu blog.                                                                                                                                         SALUTE!